Arquivo | Viagens RSS feed for this section

Praia com um bebê de 3 meses? Por que não?

7 fev

Enquanto não sou rica e não tenho uma casa na praia, procuro opções bacanas para uma escapadinha para o litoral nesse verão escaldante.

Quem mora nas regiões Sul ou Sudeste do Brasil está enfrentando o verão mais quente dos últimos sei lá quantos trocentos anos. Com tanto calor, a vontade de passar uns dias na praia estava me consumindo. Resolvi me encher de coragem e corri com o marido e o filhote para o litoral.

Com era a nossa primeira viagem com o bebê, achei prudente escolher um destino que já conhecêssemos, assim evitamos surpresas e metade da ansiedade que naturalmente ronda uma viagem com pequeninos. Já havíamos passado uma noite fora com ele, mas foi na casa da minha tia, bem mais tranquilo.

A praia escolhida para essa nossa escapadela foi Juquehy (versão chiquemetidaabesta para Juqueí rs), uma praia lindíssima e tranqüila no município de São Sebastião, litoral de São Paulo. Optamos por um hotel também conhecido nosso: o Juquehy Praia Hotel. Já ficamos algumas vezes nesse hotel e ele é, definitivamente, um dos meus preferidos. Localizado em um pedacinho super calmo e gostoso da praia de Juqueí, pé na areia, com um deck maravilhoso com a incrível vista do mar e cercado pela Mata Atlântica.

20140207-010431.jpg

20140207-012112.jpg

20140207-012126.jpg

Com um bebê tão novinho e sem a ajuda de avós ou babá, um hotel pé na areia tem uma vantagem enorme: você e o marido podem se alternar nos cuidados com o neném enquanto o outro dá um revigorante mergulho no mar 😉

20140207-011104.jpg

Passamos três dias deliciosos, apenas relaxando. O café da manhã, incluso na diária, é ultra completo, com frutas frescas e variadas, uma super mão na roda para os pequenos que já comem alimentos sólidos. O hotel também possui uma “copa do bebê”, com microondas, fogão e demais utensílios que facilitam a vida dos pais.

Mesmo sem solicitarmos, um berço do tipo desmontável foi instalado em nosso apartamento, que era ligeiramente maior que outros quartos do tipo “standart”. Nos dias que passamos lá cerca de 80% dos hóspedes eram famílias com crianças pequenas. Isso é reconfortante para quem ainda não está muito craque nessa dinâmica de viajar com bebês.

Vale mencionar também que o hotel tem um restaurante excelente, com boa relação custo x beneficio, o que possibilita que você nem saia de lá, se não quiser.

20140207-012517.jpg

Algumas dicas:

• Como bebês têm a pele muito sensível, não é recomendável o uso de repelentes ou protetor solar. Por isso, leve um aparelhinho contra insetos daqueles de tomada. Na praia os pernilongos são infelizmente muito comuns;

• Pelo mesmo motivo, leve um mosquiteiro de berço, de carrinho etc.

• Para proteger o bebê do sol, além de evitar o horário de sol intenso, use camisetas (se possível com proteção UV), chapéu, guarda sol etc. E use o bom senso: nesse calor, 17h ainda é cedo para ir para o sol. Mesmo com todos os cuidados, não fique na praia ou piscina enquanto o sol estiver muito forte, pois a areia e a água do mar e piscina refletem os raios solares, mesmo que vocês estejam na sombra.

• Para o bebê se refrescar, leve uma piscininha ou banheirinha inflável e encha com água do chuveiro. Não é bom que o bebê tenha contato com a água da piscina, que normalmente tem cloro e é utilizada por muitas pessoas. No nosso caso, utilizamos água do chuveirão da piscina misturada com água quente que pedíamos na cozinha do hotel. A temperatura ideal é aquela agradável para o seu pulso, levemente mais fria que a água do banho, se estiver muito calor, mas ainda morninha.

image

Obs: Infelizmente, esse post não foi patrocinado 🙂

10 lugares diferentes para conhecer em Sampa

24 jan

Enquanto não sou rica e tenho que trabalhar longe de São Paulo, fico “namorando” a cidade à distância mesmo…

SAMPA

Já fazem 2 anos que saí de São Paulo, rumo à Belo Horizonte. Mas a grande metrópole, ainda não saiu de dentro de mim!!! Não escondo a minha paixão por Sampa, mesmo sendo gaúcha de Porto Alegre. Adoro São Paulo, seu caos, seu tamanho, suas cores, seu ritmo, suas opções de lazer, cultura, gastronomia, compras…bom, existem muitos motivos para se apaixonar pela cidade. Aliás, é uma cidade acostumada a conviver com amor ou ódio. Ou você adora São Paulo, ou você nunca vai se acostumar a ela.

E como eu me encaixo no primeiro grupo e, principalmente, porque São Paulo está completando 460 anos, sábado, dia 25 de janeiro, resolvi fazer uma seleção de opções diferentes, inusitadas de lugares para se conhecer em São Paulo. Vamos ver?

  •  Passeio pelo túnel da Rota:

Rota é a abreviação de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (este, um ex-governador da cidade). É um batalhão de choque de São Paulo, muito controvertido e comentado nacionalmente. No prédio do quartel da Rota, na Avenida Tiradentes, existe um túnel que já contou com quase três quilômetros de extensão, e ligava o quartel a outras unidades de segurança e à antiga penitenciária da Avenida Tiradentes. Hoje tem apenas 100 metros e foi transformado em uma espécie de museu, com muitas fotos e cartazes, que contam a história do batalhão na cidade. O subterrâneo de terra batida e pouca luz possui um clima pesado e pouco arejado, com grandes teias de aranhas. Segundo o sargento Cristiano Bauer, em uma das passagens, ainda moram morcegos. Duas celas fechadas serviam como salas de reunião dos policiais. Os túneis – também usados por soldados na Revolução de 1924 – parecem guardar mistérios, que envolvem inclusive histórias da ditadura militar. É possível visitar o espaço somente as sextas, mediante agendamento pelo telefone 3327-7062.

Quartel_Geral_da_rota,Sao_Paulo
  • Conhecer e meditar no Edifício Copan:
O edifício Copan, projetado na década de 50, por Niemeyer, fica bem no centro da cidade e é um dos símbolos da metrópole. Diferente do seu projeto inicial, hoje o Copan tem 1160 apartamentos, distribuídos em 6 blocos, com 2038 moradores e área comercial no térreo com 72 lojas além de cinema que é ocupado por uma igreja evangélica. Possui 20 elevadores no total e 221 vagas de estacionamento no subsolo. Saiba mais sobre esse incrível lugar, lendo aqui.
Uma vez por mês, às 7 da manhã, um grupo de budistas da escola zen se encontra para meditar em um local inusitado: o heliponto do Edifício Copan, no centro. A sinfonia de buzinas e o vento no alto do prédio de 32 andares são desafios sublimados pela experiência de zerar os pensamentos da mente. A prática costuma ser encerrada com as oito badaladas do sino da Igreja Nossa Senhora da Consolação, na vizinha Praça Roosevelt. O encontro não tem um dia exato para ocorrer, portanto é preciso checar a data com a administração do prédio no telefone 3259-5917 ou com os organizadores do templo Templo Busshinji no 3208-4515. Grátis. 
meditacao Copan
  •  Feira do Parque da Água Branca:
A feira de produtos orgânicos promovida pela Associação de Agricultura Orgânica ocorre as terças, aos sábados e domingos das 7h às 12h. São 45 produtores com barracas de frutas, verduras, legumes, laticínios, temperos e comida pronta. Para quem quiser fazer um lanche pós-expediente, em frente ao galpão da feira funciona o Raiz Café comandado pela Thaís Raiz. É possível comer quitutes orgânicos, como salgados, bolos, tortas e até pizzas e pastéis integrais. Além, da visita ao parque, que é uma delícia!
agua-branca
  • Livraria Cultura, do Conjunto Nacional:

A livraria ocupa, dentro do Conjunto Nacional, um espaço de 4 300 metros quadrados distribuídos por três pisos. Suas prateleiras reúnem livros, CDs, DVDs, gibis, vinis raros, além de alguns itens de papelaria e acessórios para eletrônicos. Palco de concertos, shows, noites de jazz, palestras, cafés filosóficos e noites de autógrafos, é a principal loja da rede, onde também está localizado um teatro. Leitores de todos os gêneros e idades passam horas nos pufes coloridos folheando alguma novidade. É difícil sair dali sem nenhum pacote. Funciona de segunda a domingo, das 10h, às 20h. E fica na Avenida Paulista, 901.

livraria_cultura

  • Tour pela favela de Paraisópolis:
O “favela tour” não é “privilégio” apenas dos cariocas. Caminhar pelas ruas de Paraisópolis, maior favela de São Paulo, pode ser uma experiência artística. O passeio é voltado principalmente para estrangeiros, embora alguns brasileiros também procuram conhecer o enorme centro urbano na Zona Sul. O percurso é feito por alguns quarteirões, todos asfaltados, e recomenda-se pequenos grupos. A caminhada começa pela apresentação do restaurante Bom Prato e passa por pontos turísticos da região como a casa do mecânico Berbela, a Casa de Pedra, onde mora o jardineiro Estevão, apelidado de Gaudí brasileiro, entre outros.
Serviço:
Paraisópolis das Artes. Os passeios ocorrem às terças, quintas e sábados. 150 reais por pessoa. Tel: (11) 3501-3275
Around SPInclui visita à casa de artistas e os traslados. 380 reais (visita individual) ou 175 reais por pessoa (para grupo com quatro turistas). Tel: (11) 2361-6821
favela tour (fonte: estadao)
  • Zoo Safári:
Aberto nos anos 70, o parque em que os animais ficam soltos foi reinaugurado em 2001, sob administração da Fundação Parque Zoológico. Quem já tinha visitado o parque antes de 2001 (como eu!rs) vai notar a diferença, como a diminuição do número de animais no safari. Ainda assim, vale MUITO a visita!! Os visitantes podem entrar com seu próprio carro ou utilizar uma van do local, com motorista e guia. No percurso de aproximadamente 4km, observam-se lhamas, antas e bisões, entre outros animais. É possível alimentar alguns deles, como o cervo-dama e o emu (uma ave australiana semelhante à ema), com ração vendida no Zoo Safári.
zoo-safari
  • Biblioteca infantil Multilingue:
O local parece uma caixa de brinquedos. Com estrutura de madeira, logo nos primeiros passos já se veem uma poltrona decorada por bichinhos de pelúcia, dos Irmãos Campana e um pufe colorido de Marcelo Rosenbaum. E depois pelúcias, instrumentos musicais, pequenas mesas e uma TV que só passa desenhos. Em toda a lateral, muitos livros distribuídos em boxes – alguns até com fundo de led que troca de cor. Entre seus 11 000 exemplares, estão dez idiomas como inglês, espanhol, francês, chinês, russo, bósnio e também português. O espaço foi idealizado pela jornalista Duda Porto de Souza (a biblioteca leva seu nome), que angariou doações até montar todo o acervo. Ele inclui raridades como uma versão de O Patinho Feio, em preto e branco e com capa em relevo, de 1986. Uma edição sofisticada de A Invenção de Hugo Cabret (2007) também chama a atenção dos visitantes. Imperdível!!
End: Rua Doutor Álvaro Alvim, 90, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo – Vila Mariana. Telefone: (11) 5576-5729
biblioteca multilingue
  • Villa Bowling – Shopping Vila Olimpia:
Instalado numa área de 1 200 metros quadrados do 4º piso do Shopping Vila Olímpia, seu espaço, que custou 5 milhões de reais, foi inspirado no Red Rock Lanes, o famoso e imponente boliche de Las Vegas. São doze pistas de tamanho oficial automatizadas, um local com dezoito máquinas de jogos eletrônicos e um bar e restaurante. Para os menorzinhos (ou os adultos menos talentosos) conseguirem fazer seus strikes, as pistas estão equipadas com bumpers (barreiras móveis), que protegem as bolas para não caírem direto nas canaletas, e também com uma espécie de escorregador, destinado a quem tem dificuldade de lançá-las.
boliche
  •  Visita ao Pico do Jaraguá:
O ponto mais alto da cidade de São Paulo é obra da natureza. Com 1 135 metros de altura, o Pico do Jaraguá oferece uma vista de até 55 quilômetros de alcance. A visitação ocorre de segunda a domingo, das 7h às 17h, pelo Parque Estadual do Jaraguá, zona oeste da capital. O acesso ao mirante é feito a pé, numa caminhada de cerca de 2 quilômetros, ou de ou de carro, pela Estrada Turística.
No Parque do Jaraguá, a Trilha do Silêncio promete uma experiência riquíssima. O percurso tem piso adaptado para cadeirantes e placas em braile com todas as informações turísticas do parque. Durante o passeio, além de sentir o contraste entre a calma do ambiente e o dia a dia na cidade, o público é convidado a alguns minutos de meditação no final da trilha para perceber a sensação agradável da temperatura local e deleitar-se com os sons e cheiros da natureza. O acesso ao parque fica no km 18 da Rodovia Anhanguera. Informações: (11) 3945-4532 / 3943-5222.
pico-do-jaragua
  •  Visita ao Pregão da Bovespa e vista panorâmica no topo do prédio:

sede da BM&FBOVESPA promove visitas gratuitas monitoradas, individuais ou em grupo, de segunda a sexta, das 9h às 17h. Além de informações sobre os mercados de ações e de futuros para entender um pouco mais o funcionamento das finanças, as atrações ficam por conta do Espaço BM&FBOVESPA – com cinema 3D, mesa de operações, centro de memória, butique e café – e do Espaço Cultural, em que há exposições gratuitas de arte durante o ano todo. Para grupos acima de 20 pessoas, é necessário agendar horário pelo telefone (11) 2565-6826. Mais informações no site.
E já que você está ali, vale subir até o terceiro maior edifício da cidade, que foi construído em 1939 para ser a sede do Banco do Estado de São Paulo (extinto Banespa, Santander desde 2000). Inaugurado em 1947 pelo então governador Ademar de Barros, o projeto do arranha-céu foi inspirado no Empire State Building, de Nova York. Altino Arantes, nome oficial do prédio desde os anos 1960, remete ao primeiro presidente brasileiro do banco. Tem 161,22 metros e 40 andares. Para visitar o topo do edifício, a torre, programe-se para ir de segunda a sexta-feira, das 10 às 15 horas. Aos sábados e domingos, o prédio permanece fechado. Quando estiver no alto, aproveite para tirar boas fotos do Edifício Mirante do Vale, o maior do país, que não permite visitas a seu ponto mais alto.
EDIFICIO BANESPA
E ai? Quais desses lugares você já conhece? Acrescentaria mais algum (uns) a essa lista??
Feliz aniversário pra cidade de São Paulo e boa semana a todos!
Beijos,
Nádia.

Qual é a melhor época do ano para ir à Disney?

11 dez

20131211-154402.jpg

Enquanto não sou rica e não tenho uma casa em Celebration (meu sonho de consumo master!), procuro escolher bem a época do ano em que vou viajar.

Já imaginou planejar suas férias em Orlando com todo amor e carinho e descobrir que bem naquela semana a sua atração preferida não está funcionando? Ou, pior, que sua viagem vai coincidir com um feriado local e que todo mundo vai estar lá também?

É claro que nem sempre dá para fugir essas datas-roubadas, como eu costumo chamar (e atire a primeira orelha de Mickey quem nunca sonhou em passar o Natal nos parques, mesmo sabendo que essa é a semana mais lotada do ano), mas se você tem opção, melhor saber direitinho o que te espera ao chegar na terra de Walt Disney e seu ratinho simpático, certo?

Por isso, antes de marcar suas férias no trabalho, comprar passagens ou aproveitar aquela super promoção da agência de viagens, confira esse link do “Undercover Tourist“. É um calendário super detalhado com a expectativa de quantidade de visitantes em cada mês, semana e dia do ano e até a sugestão de melhores e piores parques para ir em cada dia (incluindo os quatro grandes parques temáticos da Disney — Magic Kingdom, Hollywood Studios, Epcot e Animal Kingdom — e os dois parques Universal — Universal Studios e Island of Adventure).

Ah! Eles também avisam sobre parques e atracões que estarão fechados para manutenção!

Agora é escolher a melhor data e boa viagem!

%d blogueiros gostam disto: